Fertilidade e Concepção

Ir em baixo

Fertilidade e Concepção

Mensagem  Admin em Dom Out 30, 2011 11:19 am

Será que estou pronta para ter outro bebé?

Se já tem um(a) filho/filha outra questão pode começar a surgir: Será que é boa ideia ter mais um filho e engravidar de novo? Então como saber se está pronta para mais uma gravidez?
Depois de alguns estudos, o espaço de tempo recomendado entre duas gravidezes é entre 18 e 32 meses. Este é o tempo mais normal, e de certa forma recomendado para embarcar numa nova gravidez depois da primeira – quer para a mãe, quer para o bebé.
Mas como todos sabemos que cada mulher ou família tem o seu próprio timing, este espaço de tempo é simplesmente referencial. Enquanto umas mulheres logo depois de uma gravidez, estão prontas para outra, outras mulheres já nem podem pensar noutra gravidez enquanto virem fraldas à sua frente, e outras não estarão prontas para mais nenhuma.
Sendo assim, não existe o tempo certo para pensar noutra gravidez. Existem algumas questões que deve colocar se está a decidir se deve ter outro filho ou não:
O seu filho necessita de muita atenção?
Se ficar grávida e o seu filho for relativamente autossuficiente pode ser perfeitamente uma boa altura para engravidar, mas se for mãe de gémeos ou de uma criança com necessidades especiais o tempo que terá para dedicar a um bebé pode ser mais limitado.
Como está a sua situação financeira?
Ter outro bebé poderá afetar a sua situação financeira: a realidade é que um bebé custa algum dinheiro, e se ter outro filho pode dar cabo do orçamento financeiro, talvez possa adiar esta decisão até a sua vida financeira estar mais estável.
Se tem um parceiro, como é que ele se sente relativamente ao facto de pretender engravidar de novo?
Se o seu parceiro não achar muito boa ideia outro filho para já, o melhor talvez seja esperar até chegarem a um consenso.
Que idade tem o seu filho mais velho?
Se ainda se levanta diversas vezes de noite devido ao bebé, perceberá que será bastante cansativo fazer isto grávida.
A sua relação com o seu parceiro é uma relação sólida?
Um bebé pode ser muito destabilizador para um casal, especialmente se a relação não estiver bem cimentada. Se já está com problemas na relação, um bebé nos braços não irá ajudar muito. Talvez seja melhor consolidar a relação e só depois pensarem no novo rebento.
Como se sente com a ideia de ter outro filho?
A sensação de ter outro filho fá-la sentir como: muito feliz ou medo? Confie no seu instinto, ele será um grande guia na resposta a esta grande questão.
Pense nestas questões e nas suas respostas, elas ajudarão a encontrar a resposta ao facto de estar pronta para ter outro bebé ou não.


Saber a ovulação através da temperatura basal

Muitas vezes a falta de ovulação é causa da infertilidade. Um dos métodos mais simples de verificar a altura da ovulação é medindo a sua temperatura corporal basal. Os resultados da temperatura basal corporal são anotados numa tabela, durante vários ciclos, predizendo a sua ovulação. Esta tabela diária mostrará a altura da ovulação de forma eficaz e simples. Para além de tudo, indicar-lhe-á o período certo para conceber.
Como medir o ciclo menstrual?
Um ciclo menstrual mede-se a partir do primeiro dia da menstruação até ao último dia antes da próxima menstruação. Regra geral, um ciclo dura cerca de 28 dias, surgindo a ovulação a meio do ciclo, cerca do 14º dia. O período fértil surge 3 dias antes da ovulação e dura até 2 dias depois da ovulação. Um óvulo sobrevive até 24 horas depois da ovulação.
Quando e como medir a temperatura basal?
Usualmente um ciclo menstrual regular e uma tensão pré-menstrual (TPM) significam que existe uma ovulação normal. Porém, medir a temperatura corporal basal é uma das formas de saber se existe, e quando ocorre a ovulação.
Implica medir diariamente a temperatura, logo quando acordar, mesmo antes de sair da cama, e antes de fazer qualquer coisa. Resumindo, acorda e tira logo a temperatura. Para o fazer deve colocar o termómetro na boca, no recto ou vagina, porém se colocar na boca é mais eficaz, pois na boca, em menos tempo consegue-se verificar a temperatura.
Que termómetro usar?
O ideal é usar um termómetro electrónico que detecte variações de décimas de temperatura. Se usar um outro também é apropriado, apenas deve ter em conta que deve colocar o termómetro na boca 5 minutos; se optar por medir a temperatura na vagina, ou no recto então deverá esperar pelo menos 7 minutos.
Este método de medição da temperatura basal funciona se for registando diariamente a sua temperatura, durante alguns ciclos. Depois verificará que os valores formam um gráfico e pela observação desse gráfico perceberá qual é o seu período fértil.
Quando pode esperar mudanças da temperatura?
A sua temperatura basal será mais baixa durante as 2 primeiras semanas do ciclo, que antecedem a ovulação, pois a presença da hormona do estrogénio mantém a temperatura entre os 36/36.5ºC.
Imediatamente a seguir à ovulação, a progesterona “aquece a temperatura” e há um aumento de 0.5 a 0.8ºC (cerca de 37ºC)até à altura do próximo período menstrual. Esta temperatura surge quando a ovulação já ocorreu. Poderão existir picos de temperatura noutros dias mas, a menos que estes se mantenham, é pouco provável seja devido à ovulação ter ocorrido.
Se o seu ciclo menstrual for regular e fizer o gráfico durante alguns ciclos vai conseguir predizer quando surgirá a ovulação.
Se durante todo o ciclo, a temperatura basal permanecer abaixo dos 37ºC sem um pico significativo, significa que não existiu ovulação nesse ciclo.
Todos os valores da temperatura devem ser registados numa tabela. Se preferir pode elaborar um gráfico que represente a sua temperatura corporal basal. Poderá inserir os dados numa tabela Excel e elaborar um gráfico com os mesmos.
Se não aumentar a temperatura?
Se surgir um ciclo anovulatório (sem ovulação), poderá ser devido à disfunção dos ovários, levando o ovário a não libertar o óvulo. Quando isto acontece, o ovário também não liberta as hormonas sexuais que regulam a contracção do tubo-uterino e o desenvolvimento anormal do endométrio. A medição da temperatura basal é muito eficaz, mas um ultra-som ao diâmetro do folículo também se pode revelar muito eficaz, na detecção de problemas deste género.
Que factores podem afectar a temperatura basal?
A temperatura basal pode ser afectada caso não tenha tido uma boa noite de sono, se não teve pelo menos 3 horas de sono consecutivo depois de ter feito sexo, se teve febre ou se bebeu álcool na noite anterior.
Outra opção ao gráfico da temperatura basal?
A ovulação surge quando a Hormona Luteinizante aumenta, e provoca a libertação do óvulo pelo ovário. A percentagem da Hormona Luteinizante aumenta na circulação sanguínea entre 24 a 36 horas antes da ovulação ocorrer. Como esta hormona é eliminada pela urina, um teste à urina permite saber se existe mais ou menos percentagem desta hormona. Caso exista uma percentagem de Hormona Luteinizante na urina prevê-se a ocorrência da ovulação.
Existem testes de ovulação à venda em farmácias para fazer à urina em casa. Se o seu teste tiver um resultado positivo, então a sua ovulação irá ocorrer 24 a 48 horas depois desse resultado positivo. Porém estes testes à urina têm de ser feitos durante vários dias - sendo mais dispendiosos que a medição da temperatura basal -, até detectar a presença significativa da Hormona Luteinizante (resultado positivos). Se o seu ciclo é de 28 dias deverá de começar a fazer o teste cerca do 9º dia depois do primeiro dia da menstruação.
Pode-se detectar uma gravidez através da temperatura basal?
Sim, caso a temperatura basal permanecer elevada mesmo depois da fase do período menstrual passar (caso ele não surja), isso pode ser um sinal de que está grávida. Quando conceber, o óvulo é fertilizado nas trompas de Falópio, que de seguida levará cerca de uma semana a viajar até ao útero, onde será implantado. Este é o tempo que o corpo tem para detectar a sua gravidez. Quando é libertada hormona hCG (gonadotrofina coriônica humana), é normal que a temperatura do corpo suba, não de forma tão óbvia como quando ocorreu a ovulação, mas com alguma relevância, podendo ser detectada cerca de uma semana a 12 dias, depois do primeiro pico de temperatura.
Medir a temperatura basal é suficiente?
Não, pois fazer apenas o gráfico da temperatura basal apenas lhe dirá se a ovulação ocorreu. Como o óvulo apenas pode viver entre 12 a 24 horas, na altura em que a temperatura subir, um dia ou dois depois da ovulação, o óvulo já foi perdido.
Porém, é importante anotar a temperatura basal porque é um indicador excelente para determinar quando ocorre a fase ovulatória, e para determinar se a segunda fase do ciclo - a fase lútea - é longa o suficiente para conseguir uma fertilização (esta fase deve durar pelo menos 9 a 10 dias, depois de ocorrer a ovulação até ao dia do próximo período menstrual).
Quando estiver a anotar a sua temperatura basal, junte também outros sinais de fertilidade, para determinar a altura ideal para conceber, usando também indicações sobre o muco cervical para determinar a sua fase mais fértil.


Aumentar a sua fertilidade também depende de si

Quem anseia por um bebé passará certamente pela fase da fertilidade. Embora conceber pareça uma ocorrência natural, ajudar a natureza a ajudá-la a si poderá revelar-se um sucesso. Descubra um pouco mais acerca da fertilidade.
Existem alguns factores que influenciam a fertilidade, nomeadamente os factores relacionados com o estilo de vida. Independentemente do seu tipo de corpo, existem muitos factores importantes a ter em conta para quem deseja conceber.
O estilo de vida…
Quer seja relativamente a si, quer seja relativamente ao seu companheiro, o estilo de vida que mantém é um grande factor de sucesso, para conseguir ser bem-sucedida ao nível da sua fertilidade. A obesidade, o stress, a poluição e o tabaco são os factores ambientais que mais contribuem para a infertilidade.
Uma mulher ou homem que fume tem uma capacidade de conceber muito inferior a quem não o faça. Todos sabem que fumar é extremamente prejudicial a quem o faz, bem como à vida a ser concebida. Se o seu sonho é ser mãe ou pai, e fuma, a primeira coisa que deve fazer é deixar de fumar, ontem.
Ao lado do tabaco está a poluição: se frequenta ambientes muito poluídos, pouco arejados, um destes factores ou o conjunto deles pode estar a limitar a sua fertilidade, e o sonho de ter uma nova vida nas suas mãos. Saia de casa, apanhe ar fresco, dê caminhadas ao ar livre, viva uma vida saudável em ambiente saudável, isto será elementar para si e para o seu futuro rebento.
O stress é outro factor que está cada vez mais ligado aos casos de infertilidade ou de dificuldade em engravidar. Viver uma vida mais calma é fundamental para conseguir bons níveis de fertilidade.
A obesidade é outro factor que limita a capacidade de engravidar, pois a obesidade é um factor que está directamente ligado à baixa fertilidade. Antes de engravidar, deve estar em boa forma física e ter um índice baixo de massa corporal gorda. Converse com o seu médico acerca do seu peso, e trabalhe com ele para chegar a um equilíbrio.
Comer “fertilmente”…
O que come pode contribuir muito para o sucesso da concepção. Antes de pensar em ter um bebé na sua barriga, deve ter em conta o que lá põe dentro. Muitas mulheres têm algum tipo de problema digestivo, bem como algum tipo de problema da tiróide associado. Durante a fase de pré-concepção é importante que ingira alimentos frescos e fáceis de digerir, juntamente com um suplemento vitamínico. Por vezes, uma variação na alimentação pode representar um grande aumento da fertilidade. Opte por alimentos biológicos com baixo índice de glicemia, ingira refeições fáceis de digerir e insira na sua alimentação pratos que incluam quinoa, tempeh , tabule, …
O meio ambiente…
Cada vez mais existem estudos que ligam inúmeras coisas que estão ao nosso redor à infertilidade, tais como químicos, pesticidas, parabenos que se encontram em alguns produtos de estética ou ftalatos que se encontram em alguns plásticos, entre muitos outros. Por isso, é cada vez mais importante levar uma vida verde e orgânica, especialmente quando se tenta conceber. Optar por produtos de limpeza biológicos, cosméticos naturais e uma alimentação biológica, é fundamental.
O que a mente decide…
A capacidade que a mente pode ter sobre o corpo é enorme. Uma mulher ou um homem têm uma capacidade tremenda de conseguir efeitos incríveis. Manter um espírito positivo e aceitar que existe sempre esperança é essencial para uma vida positiva e por consequência para conseguir grandes feitos, tais como conceber. Saiba que pode sempre influenciar a sua fertilidade de forma positiva!
E tudo junto….
Aumentar o estado geral da sua saúde, balancear os níveis hormonais, fortalecer o sistema imunitário, antes de optar por uma escolha médica, deve ser a primeira atitude a ser tomada. Antes de desistir ou de optar por um meio de concepção apenas médico, não descure a possível combinação, do que está naturalmente ao seu alcance em conjunto com a aptidão da medicina moderna. Se está a tentar conceber é muito importante que não deixe tudo nas mãos da medicina; colabore com ela, mantenha um corpo saudável, faça exercício, pratique uma boa alimentação, e viva num ambiente saudável. A fertilização é sempre melhor sucedida se combinar todos os factores.
Conversar…
Não se esqueça que conversar sobre os problemas é fundamental para os ultrapassar, por isso, fale acerca dos seus sentimentos e sobre o que se está a passar. Converse com o seu parceiro, família e com mulheres que estão a passar pela mesma experiência.


Engravidar depois de ter tomado a pílula

Mesmo que esteja a tomar a pílula há anos, existem alguns conselhos a seguir se está a pensar engravidar.
Muitas mulheres começam a tomar a pílula aos 16 anos de idade, por isso podem já estar a tomar a pílula há 10, 15 anos quando chega a altura de deixar de tomar a pílula e começar a pensar num bebé. Muitas mulheres conseguem engravidar logo de seguida, outras demorarão mais tempo a conseguirem engravidar. Por vezes a própria menstruação poderá demorar algum tempo a aparecer e a regular-se.
Embora possam existir preocupações por parte de algumas mulheres de que a pílula poderá afetar a fertilidade, a realidade é que não existem provas que a pílula possa causar infertilidade.
Menstruação
A maioria das mulheres que têm ciclos menstruais regulares, antes de começar a tomar a pílula, descobrirão que os ciclos de ovulação regulares voltam cerca de 6 meses depois de parar a tomada da pílula. Ciclos irregulares antes de tomar a pílula, poderão ser um indício de Síndroma dos Ovários Policísticos (SOP); contudo, com a toma da pílula os ciclos acabam por ser regulados. O peso, a saúde, o stress e o exercício físico também poderão influenciar o padrão da menstruação de uma mulher.
Uma questão de peso
A fertilidade é maior e uma gravidez é mais saudável quando uma mulher tem um IMC (índice de massa corporal) entre 18,5 e 25. O Índice de Massa Corporal é calculado quando se divide o peso da pessoa pela altura em metros quadrados.
Corpo em bom estado
A fase da pré-conceção, ou seja a fase antes de começar a tentar engravidar, também é muito importante, pois assegurará uma gravidez saudável. Para tal é necessário:
Parar de fumar
Uma mulher ou homem que fuma, leva duas vezes mais tempo a conceber do que uma mulher ou homem não fumadores. Para além disso, uma mulher fumadora tem uma probabilidade de sofrer um aborto, muito maior do que uma não fumadora.
Cortar na ingestão de álcool
Uma mulher ou homem abstémio tem uma probabilidade maior de conceber mais rapidamente do que um homem ou uma mulher que beba, nem que seja apenas 2 a 3 bebidas por semana.
Começar a tomar ácido fólico
Tomar um suplemento de ácido fólico, ferro, vitamina C e, acima de tudo, manter uma alimentação saudável rica em frutas e legumes é essencial. Porém, evite a toma de vitamina A e D pois podem ser tóxicas para o feto.
Caminhar ao ar livre e fazer exercício
Escritórios abafados, lugares apenas arejados com ar condicionado, o uso do metro, lugares muito poluídos, e todos os lugares que diminuam a ingestão de oxigénio reduzem a quantidade de oxigénio na corrente sanguínea e são contribuidores para a infertilidade.
Exercitar técnicas de gestão do stress
A meditação, o yoga ou Pilates são ótimas formas de controlar o stress. Os altos níveis de stress podem interferir com a sua ovulação, tornando a conceção mais difícil.
Ficar longe de saunas e de jacuzzis
Caso pense que pode estar grávida, é muito importante evitar lugares de grandes temperaturas, pois podem aumentar a probabilidade de aborto.
Ter muito sexo
A melhor forma de engravidar é ter muito sexo. Faça sexo 3 vezes por semana, dia sim, dia não.
Manter o peso ideal
Dietas yo-yo ou uma má alimentação são péssimas para a saúde e por consequência desaconselhadas a uma gravidez saudável. É importante alimentar-se corretamente, mantendo um peso saudável e estável.
Não stressar nem entrar em pânico
Usualmente, 90% dos casais saudáveis conseguem engravidar cerca de 1 ano após começarem a tentar. Caso comece a pensar que pode existir um problema de fertilidade, consulte o seu médico assistente.
Dialogar com o parceiro
O stress de engravidar pode afetar uma relação e colocá-la em grande tensão. É importante que exista diálogo, compreensão e acima de tudo nunca esquecer que existem 2 pessoas envolvidas neste desejo.


O que significam os diferentes níveis de HCG?

Os níveis do resultado do teste beta HCG (hormona gonadotrofina coriónica) variam muito de acordo com as diferentes alturas da gravidez. A hormona HCG tem como função prolongar a longevidade do corpo lúteo (prevenindo a sua desintegração), estimulando também a produção da progesterona. Esta é também a conhecida hormona dos testes de gravidez (urina e sangue) que indica se poderá estar grávida ou não.
Uma única medição do nível da hormona HCG não pode prever o resultado da idade gestacional ou uma estimativa da altura do parto, mas poderá indicar se está grávida ou não.
Ficam aqui os valores até à 12ª semana de gestação:
1 semana de gestação: 5-50 mIU/ML HCG
2 semanas de gestação: 20-500 mIU/ML HCG
3 semanas de gestação: 500-5,000 mIU/ML HCG
4 semanas de gestação: 3,000-19,000 mIU/ML HCG
8 semanas de gestação: 14,000-169,000 mIU/ML HCG
12 semanas de gestação: 16,000-160,000 mIU/ML HCG
Um exame de beta-HCG pode ser muito útil nas primeiras semanas de gravidez. Durante um período de 48 horas, o nível do exame beta-HCG deverá crescer pelo menos 66%, quando se trata de uma gravidez saudável. O decréscimo ou aumento menos acentuado poderá significar um aborto. Por volta das 10 semanas de gestação, os níveis da hormona HCG atingem o seu pico, cerca de 1000,000, onde tendem a estabilizar e depois, muito gradualmente, descer durante a restante gravidez.


Teste de gravidez beta HCG explicado

Existem diversos testes de gravidez, e todos visam detetar a presença da hormona HCG (hormona gonadotrofina coriónica). Esta hormona é produzida na placenta, pouco depois da fixação do embrião na parede do útero. Depois do teste de gravidez à urina, o beta HCG ao sangue é o mais comum. Resumindo, existem 2 tipos de testes que poderá fazer para saber se está grávida: à urina e ao sangue.
O teste da urina pode fazê-lo em casa, e a sua margem de erro é mínima, mas um teste de sangue terá de o fazer num laboratório de análises.
Ambos os testes ao sangue e à urina têm a função de detetar o nível da hormona HCG. A diferença entre ambos é que o teste da urina apenas indica se está grávida ou não, enquanto o exame ao sangue poderá indicar em que estágio da gravidez se encontra, através da variação do valor indicativo entre 2 exames. Existem 2 tipos de testes beta HCG: o qualitativo que é mais um teste sim ou não (uma espécie de teste à urina) e o quantitativo que facultará um número.
Muitas mulheres têm muito pouca quantidade de HCG nas diversas fases do ciclo menstrual, mas para considerar uma mulher grávida terá de existir um certo número mínimo de hormona HCG. Este valor poderá variar de laboratório para laboratório, mas no geral um valor acima de 5 é considerado positivo.
Quem faz análises à hormona HCG?
Nem todas as mães fazem este teste. Usualmente mulheres que estão a tentar engravidar, especialmente recorrendo a tratamentos de fertilidade, farão testes à hormona HCG como uma rotina, sempre que o ciclo estiver a terminar (ou seja antes da altura da menstruação prevista, na fase posterior ao período fértil). Mas tudo dependerá do tipo de testes que o médico considere adequados.
O que significam os valores de um teste HCG?
Apenas o valor resultante de um teste HCG poderá dizer se está grávida ou não. O que não poderá dizer, é o quanto grávida está, tal como o tempo de gravidez, e se tudo está bem com a gravidez. Para saber estas respostas, o ideal é repetir o teste nos próximos 2 dias seguintes ao primeiro. A comparação dos números ajudará o médico a compreender como é que a gravidez se está a desenrolar.
Usualmente, numa gravidez saudável o número de beta HCG duplica a cada 48 horas, e este tipo de desenvolvimento poderá ser muito importante para predizer como se encontra o estado da gravidez. Por exemplo, se o seu beta HCG for 45, cerca de 1 ou 2 dias depois deverá estar à volta de 90. Um valor baixo poderá ser um alerta para um possível problema.
É muito comum, especialmente se estiver a fazer tratamentos de fertilidade, que os resultados dos valores do teste hormonal beta HCG comecem a ser uma obsessão. Relaxar e reduzir os níveis de ansiedade deve ser a sua primeira prioridade, por isso tente manter-se com uma atitude positiva durante esta fase, será bom para si e para a gravidez.


As 10 coisas que deve fazer antes de decidir engravidar

Um bebé já é uma ideia real, quer mesmo engravidar; mas e antes de realmente conceber, o que deve saber sobre si? Antes de decidir engravidar deve dar a maior hipótese ao seu bebé, e para tal será necessário seguir alguns passos.
Tenha em atenção o seu peso. O excesso de peso, ou a falta dele, pode aumentar as hipóteses do seu bebé desenvolver defeitos genéticos de nascença como a fenda do palato ou diabetes.
Reduza o stress. Existem muitas situações que podem ser fontes de stress - aproveite este período para reflectir sobre elas. Pense no que poderá ajudar a reduzir o stress ou no que poderá ajudar a lidar com ele. O stress durante a gravidez pode levar a uma maior incidência de problemas mentais e comportamentais no bebé.
Não se exponha ao fumo do tabaco, ou deixe de fumar. Uma percentagem do fumo e das substâncias malignas do tabaco ficam armazenadas na gordura corporal e demoram algum tempo a serem eliminadas. Fumar antes e durante a gravidez pode provocar o nascimento de um bebé prematuro, um bebé de peso inferior com asma e o Síndrome da Morte Infantil Súbita.
Deixe de beber álcool. O corpo acumula substâncias na gordura corporal que podem demorar até um mês a eliminar. A síndroma do álcool fetal pode causar defeitos genéticos graves, bem como dificuldades de aprendizagem na criança.
Saiba o seu grupo sanguíneo. Se o seu grupo sanguíneo não for compatível com o do bebé, pode provocar anemia e outros problemas como a doença de RH, que surge devido a esta incompatibilidade. No entanto, a doença de RH pode ser tratada facilmente durante a gravidez.
Comece a tomar vitaminas pré-natais, cálcio e acido fólico. Ingerir vitaminas, cálcio e ácido fólico pelo menos 2 meses antes da concepção, ajuda a evitar defeitos ao nível do tubo neural como a espinha bífida e outros defeitos genéticos.
Verifique a sua imunidade à rubéola e à varicela. Esta imunidade pode ser testada através de um simples exame ao sangue. É importante que saiba se tem imunidade a estas doenças antes de engravidar para que não as contraia durante a gravidez. A contracção destas doenças durante a gravidez pode dar origem a problemas no bebé na área neuromotora, lesões cutâneas semelhantes a cicatrizes, hipoplasia ou desenvolvimento incompleto dos dedos e várias lesões no sistema nervoso.
Verifique com o médico assistente se os medicamentos que toma são prejudiciais à gravidez. Dependendo dos medicamentos que se encontra a tomar (medicamento para o coração, antidepressivos...) pode ter de os deixar; no entanto deve consultar-se com o seu médico acerca dessa possibilidade. Defeitos genéticos como a fenda do palato e anormalidades nos membros, podem ser provocados pela ingestão de alguns tipos de medicamentos.
Faça um exame ao VIH. Se for VIH positiva pode passar este vírus ao bebé, mas se descobrir esta condição previamente, através da administração de anti-retrovíricos pré-natais pode diminuir a probabilidade de transmitir o vírus do VIH ao bebé.
Verifique o seu historial de saúde e os defeitos genéticos familiares. Verifique os registos médicos de defeitos genéticos familiares quer do lado da mãe quer do lado do pai do bebé. Tenha atenção a problemas genéticos que tenham ocorrido na família e reporte-os ao seu médico.


Engravidar e Viagra

O Viagra é um medicamento usado para tratar disfunções erécteis. Se o seu parceiro toma Viagra ou outro medicamento genérico com o mesmo efeito, certamente perguntara-se se é seguro conceber.
O Viagra funciona inibindo a enzima phosphodiesterase-5 (PDE5A) , que actua relaxando o músculo, deixando o sangue fluir para o corpo cavernoso do pénis, conseguindo e mantendo uma erecção. De acordo com o fornecedor Pfize, a disfunção eréctil é muitas vezes o resultado de uma diminuição da afluência de sangue ao pénis. Isto pode ser causado por pressão sanguínea alta, colesterol e stress, entre outras causas. Assim que o homem tome o Viagra , pode estar pronto para ter relações no mínimo em 30 minutos, e actua pelo menos durante 4 horas.
Depois da explicação, a resposta a questão é que não existem contradições em conceber enquanto o seu parceiro toma Viagra. Fizeram-se testes que indicam que o Viagra não afecta o esperma ou cria mutações no mesmo , por isso pode começar a tentar conceber sem receios...

Admin
Admin

Mensagens : 105
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 28
Localização : Aveiro

Ver perfil do usuário http://omundoenosso.forumsomeu.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum